A Princesa e a Ervilha 

Essa é a história de um príncipe que queria se casar com uma princesa, mas com uma princesa que fosse verdadeira.

 

Ele viajou então por todo o mundo à procura de uma princesa que fosse realmente verdadeira, mas em todas as que encontrou descobriu sempre algo que não lhe agradava. Princesas havia muitas; mas, quanto a considerá-las verdadeiras, isso ele não fora capaz de decidir. Havia sempre alguma coisa que não era de uma princesa genuína.

 

Regressou ao seu reino, muito triste, pois desejava casar-se. Nessa noite caiu uma terrível tempestade. Era horrível! Então, alguém bateu à porta do castelo e o velho rei veio abri-la. Era uma princesa que estava lá fora. Mas, Santo Deus, em que estado a tinham posto a chuva e o mau tempo! A água escorria-lhe dos cabelos, sobre a roupa, entrando pela biqueira do sapato e saindo pelo  seu calcanhar.

 

Era uma verdadeira princesa, declarou ela.

 

– Está bem, em breve o saberemos! – pensou a rainha velha, que, contudo, nada disse. Dirigiu-se ao quarto de hóspedes, tirou a roupa da cama, pôs uma ervilha sobre as tábuas do leito, e depois, colocou vinte colchões por cima da ervilha e sobre estes ainda mais vinte edredons. Era aí que nessa noite a princesa iria dormir.


No outro dia de manhã perguntaram-lhe se havia dormido bem.

 

– Oh, terrivelmente mal! – respondeu a princesa. – Quase não preguei olho toda a noite! Sabe Deus o que tinha a cama! Estive deitada sobre qualquer coisa dura que me encheu o corpo de dores! Foi uma noite horrível!

 

O rei, a rainha e o próprio príncipe puderam deste modo verificar que se tratava de uma verdadeira princesa. Na verdade, só uma genuína princesa podia ser assim tão sensível. O príncipe tomou-a, então, por esposa, pois tinha agora a certeza de ter encontrado uma princesa de verdade, e a ervilha foi colocada em um museu, onde ainda pode ser vista, se ninguém a tirou de lá.

 

Pois esta é também uma história verdadeira!   

* Esse texto foi retirado do livro Os Contos de Hans Christian Andersen.    

Hans Christian Andersen (1805-1875): foi um poeta e escritor de histórias infantis, nascido na Dinamarca. Escreveu peças de teatro, canções patrióticas, contos, histórias, e, principalmente, contos de fada, pelos quais é mundialmente conhecido.