A Rainha da Neve - Um Conto com Sete Histórias 

Primeira história que trata do espelho e dos seus fragmentos 

Vejam então! Agora vamos começar. Quando tivermos chegado ao fim do nosso conto, saberemos mais do que agora, pois fala de um feiticeiro mau! O pior de todos.  

Um dia, ele estava de bom humor, porque tinha acabado de construir um espelho que possuía uma propriedade: a beleza e a bondade que nele se refletissem reduziam-se a quase nada. Tudo o que era mau ou desagradável, pelo contrário, aumentava, tornando-se ainda pior.

As melhores pessoas tornavam-se repelentes ou ficavam com a cabeça para baixo, sem barriga e com as caras tão disformes que ficavam irreconhecíveis. Se alguém tivesse uma pequena sarda, podia ter a certeza de que esta se tornava enorme, cobrindo-lhe o nariz e a boca.

– Como isto é divertido! – dizia o feiticeiro.

 

Logo que um pensamento sensato ou piedoso atravessava o espírito de um homem refletia-se no espelho um sorriso de escárnio. Este feiticeiro dos diabos ria-se, encantado com a sua invenção. Todos os que andavam na sua escola de feiticeiro, pois ele tinha uma escola de feitiços, contavam por toda a parte que houvera um milagre. Só agora se podia ver, opinavam eles, como o mundo e os homens eram na realidade. Corriam por todo o mundo com o Primeira história que trata do espelho e dos seus fragmentos e, no fim, não havia país ou pessoa que nele não visse refletida a sua imagem distorcida.

Agora, o feiticeiro e seus aprendizes queriam voar para o próprio céu a fim de fazerem pouco dos anjos e de Nosso Senhor. Quanto mais subiam com o espelho mais este se ria de escárnio. Mal o podiam segurar. Continuaram a voar cada vez mais alto e mais alto, cada vez mais próximos de Deus e dos anjos. De repente o espelho estremeceu tão terrivelmente com o seu malvado sorriso que se escapou das mãos dos diabinhos e se precipitou para a Terra, desfazendo-se em cem milhões de bilhões e ainda em mais fragmentos.

E foi assim, despedaçado, que causou mais danos do que antes. Alguns pedaços que não eram maiores que grãos de areia voaram pela vastidão do mundo e, em forma de poeira, entraram nos olhos de homens e mulheres, meninos e meninas. Essas pessoas viam tudo errado, e só tinham olhos para o que estava mal, pois cada pequeno grão de espelho mantinha as mesmas forças como se de todo o espelho se tratasse. Houve quem chegasse a ter um pequeno grão do espelho no coração, e então era pavoroso, pois o coração dessas pessoas transformava-se em um pedaço de gelo. 

Existiam pedaços tão grandes que chegaram a ser usados como vidraças para as janelas. Não era nada aconselhável ver os amigos através deles. Outros foram utilizados como lentes para óculos e então, quando alguém os punha, para se ver com clareza e justiça, tudo corria mal.

O feiticeiro sorria de tal forma que até a barriga lhe rebentava. O riso fazia-lhe cócegas deliciosas. Lá fora, voavam ainda pequenos pedaços de vidro. 

Agora, escutem com atenção a próxima história.  

* Esse texto foi retirado do livro Os Contos de Hans Christian Andersen.    

Hans Christian Andersen (1805-1875): foi um poeta e escritor de histórias infantis, nascido na Dinamarca. Escreveu peças de teatro, canções patrióticas, contos, histórias, e, principalmente, contos de fada, pelos quais é mundialmente conhecido.  

A Rainha da Neve: Segunda História

Anotações 

Essa foi a história que deu origem ao filme Frozen - Uma Aventura Congelante. Ele é composto por sete contos distintos, que narram a luta entre o bem e o mal, vivida por um menino e uma menina, Kai e Gerda. Apesar de ser um dos contos mais longos de Andersen, ele demorou apenas cinco dias para escrevê-lo.  

Reinvenções 

Aqui você encontra uma lista de filmes, animações e seriados televisivos que reinventam o conto A Rainha da Neve.   

Once Upon a Time - seriado - (2011)

Frozen: Uma Aventura Congelante (Frozen) - animação - (2013)

Frozen: Febre Congelante (Frozen Fever) - animação - (2015)

O Caçador e a Rainha do Gelo (The Huntsman: Winter's War) - filme (2016)