Rapunzel 

Era uma vez um homem e uma mulher que havia muito desejavam ter filhos, mas nunca tinham conseguido. Desta vez, finalmente, a mulher estava com esperanças. Na casa dos fundos em que moravam, havia uma pequena janela por onde podiam ver o jardim de uma fada, repleto de flores e de ervas de todos os tipos, mas ninguém podia ousar entrar ali. Um dia, a mulher estava diante da janela olhando para baixo quando avistou um canteiro repleto de lindos rapôncios e sentiu muito desejo por eles. Mas, sabendo que não era possível comer nenhum sequer, acabou passando mal e desmaiando. Assustado, o marido perguntou o que causara aquele mal-estar e ela respondeu: "Ai, se eu não comer um desses rapôncios do jardim dos fundos da nossa casa, vou morrer". O marido, que a amava muito, pensou que, custasse o que custasse, ele iria conseguir alguns para ela e à noite pulou a cerca alta e arrancou, apressado, um punhado de rapôncios e os levou para a mulher. 

 

Ela logo fez uma salada com eles e a comeu com apetite voraz. Mas acontece que gostou tanto, mas tanto, que no dia seguinte ela sentiu o triplo de desejo de comê-los. Vendo que não teria sossego, o homem entrou novamente no jardim, mas levou um susto enorme ao topar com a fada, que o repreendeu, indagando como ousara invadir o jardim dela para roubar. Ele se desculpou o melhor que pôde, alegando a gravidez de sua mulher e que era perigoso negar alguma coisa a ela, até que a fada disse: "Está bem, então, eu vou deixar você levar quantos rapôncios quiser, contanto que me entregue a criança que a sua mulher carrega com ela". Apavorado, o homem concordou, e, assim que a mulher deu à luz uma menina, a fada apareceu, deu-lhe o nome de Rapunzel e levou-a embora com ela. 

 

Rapunzel tornou-se a mais linda criança debaixo do Sol, mas, ao completar doze anos, a fada a trancou em uma torre muito alta que não tinha porta nem escada, apenas uma janelinha bem no alto. Toda vez que a fada queria subir, ficava lá embaixo e chamava: 

 

"Rapunzel, Rapunzel! 

Jogue os seus cabelos." 

 

Rapunzel tinha cabelos maravilhosos, finos como o ouro  trançado e, quando a fada chamava, ela os soltava, enroscava-os em um gancho da janela e a cabeleira caía de uma altura de vinte metros e a fada subia por eles. 

 

Um dia, um jovem príncipe passeava pela floresta onde ficava a torre e avistou a bela Rapunzel no alto à janela; ouviu-a cantar com voz tão doce que ficou completamente apaixonado por ela. Como não encontrou nenhuma porta de acesso à torre e não havia escada que alcançasse tão alto, ficou desesperado, mas mesmo assim ia todos os dias à floresta, até que um dia viu a fada chegando e chamando: 

 

"Rapunzel, Rapunzel! 

Jogue os seus cabelos." 

 

Foi então que ele viu com que escada se podia subir à torre. Ele memorizou bem as palavras que deveriam ser ditas e no dia seguinte, quando estava escuro, foi até a torre e disse:

 

"Rapunzel, Rapunzel! 

Jogue os seus cabelos." 

 

Ela soltou os cabelos e quando chegaram lá embaixo o príncipe se segurou neles e foi puxado para cima. De início, Rapunzel levou um susto, mas não demorou a gostar tanto do príncipe que combinou que viesse visitá-la todos os dias e ela o puxaria para cima.

 

Assim, viveram alegres e a fada não percebeu nada por um bom tempo, até que um dia Rapunzel disse a ela: "Sabe, senhora Gothel, as minhas roupas estão tão apertadas que não estão querendo servir mais em mim". "Ah, menina maldita, o que sou obrigada a ouvir", disse a fada, fora de si, vendo que havia sido enganada. Então ela agarrou os lindos cabelos de Rapunzel, deu-lhe algumas palmadas com a mão esquerda e com a direita apanhou a tesoura e rip, rip, rip, os cabelos estavam cortados. Depois baniu Rapunzel para um deserto onde ela passou apuros e onde, depois de um tempo, deu à luz gêmeos, um menino e uma menina. 

 

Mas, na noite do mesmo dia em que baniu Rapunzel, a fada prendeu os cabelos cortados ao gancho da janela e quando o príncipe chamou: 

 

"Rapunzel, Rapunzel! 

Jogue os seus cabelos." 

 

ela lançou os cabelos. Qual não foi a surpresa do príncipe ao chegar no alto da torre e, em vez de sua queria Rapunzel, encontrar a fada. "Maldito príncipe, saiba que perdeu Rapunzel para sempre".  

 

O príncipe ficou tão desesperado que no mesmo instante se jogou da torre. Apesar de sobreviver à queda, ele ficou cego. Triste, vagava pela floresta e não comia nada além de capim e raízes, e não fazia nada além de chorar. Alguns anos se passara, até que chegou ao deserto em que Rapunzel vivia uma vida miserável com seus dois filhos. Ele ouviu uma voz que lhe parecia familiar e no mesmo instante Rapunzel o reconheceu e foi correndo abraçá-lo. Duas de suas lágrimas caíram nos olhos dele e o príncipe voltou a enxergar como antigamente. E os dois viveram felizes para sempre. 

* Esse texto foi retirado do livro Contos Maravilhosos Infantis e Domésticos - Tomo 1 - Jacob e Wilhem Grim - Editora Cosac Naify.   

Irmãos Grimm: Jacob e Wilhelm Grimm nasceram, respectivamente, em 04 de janeiro de 1785 e em 24 de fevereiro de 1786 em Hanau, na Alemanha. Eles são responsáveis por reunir, em seu país, uma série de contos populares narrados oralmente, na tentativa de preservá-los. Colhidos em diversas regiões, foram publicados entre 1812 (Tomo 1) e 1815 (Tomo 2), com o nome de "Kinder -und Hausmärchen" (Contos Maravilhosos Infantis e Domésticos).  

 

Anotações

Esse é o conto dos Grimm de número 12, intitulado "Rapunzel".

 

A versão mais antiga desse conto é a de Basílio, em sua obra Pentamerone (1634), onde é chamado de "Parsley" ou "Petrosinella". Nessa história, bastante parecida com a dos Irmãos Grimm, uma bruxa sequestra e prende a jovem.  No entanto, ela consegue fugir com o príncipe da torre e, quando a bruxa os persegue, Petrosinella a derrota e vai com ele para seu reino.  

Reinvenções 

Aqui você encontra uma lista de filmes, animações e seriados televisivos que reinventam o conto Rapunzel. 

 

Rapunzel - filme - (2009)

Enrolados (Tangled) - animação - (2010) 

Once Upon a Time - seriado - (2011) 

Enrolados Para Sempre (Tangled Ever After) - animação - (2012) 

Caminhos da Floresta (Into the Woods) - filme - (2014)